"Oras, se você quiser se divertir, invente suas próprias canções." (Renato Russo)

Quarta-feira, 12 de Novembro de 2008

Chove.

Chove pra levar embora os sonhos

que eu não sonhei.

Chove pra apagar os rastros que eu deixei

por caminhos que não passei.

Chove.

Chove pra levar na enxurrada

os pensamentos tristes.

Chove pra me ajudar a esquecer

tudo aquilo que não existe.

 

Chuva,

chove sim, mas chove com raiva,

mostre a todos tua força,

Pois hoje

vou tomar-te como exemplo.

publicado por Gizele Alves às 22:31
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Fechei os olhos.

E lá estavam elas

brotaram do fundo da alma.

Eram parte do que eu sentia.

Tentavam fugir de mim. Em vão.

Escorreram pelo rosto

e acabaram absorvidas pela pele.

Eram parte do que eu sentia.

E eu estava dentro delas,

eu era elas,

e nunca antes tão pura!

Outras como as primeiras vieram

e tão logo os lábios

se acostumaram

com o gosto salgado que tinham.

Eram gotas de suor

de um coração cansado.

Vieram pra avisar que

ele não estava bem. E se foram.

Secaram.

tags:
publicado por Gizele Alves às 22:31
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13

16
17
19

24
25
26
27
28

30


últ. comentários
Oi Gi, coloquei seu blog nos meus links.gostei mui...
Voltou a escrever gi!!! Que ótimo!!!E tá escrevend...
Oi Gi!Puxa... tá inspirada hein!Passa um pouco des...
Que triste Gi!Puxa... me emocionou mesmo esse text...
Gi,Lindo.. muito lindo...Realmente... não há coisa...
A vida só se compreender mediante a um retorno ao ...
Oi Gi,muito interessante este seu texto.Bom seria ...
Isa, a intenção não era dizer que alguém é mais ou...
oi gizele!teus poemas sao lindos, mas desculpa, as...
Olá Gizele,Obrigado pelas palavras, tbm vi seu blo...
arquivos
links
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro