"Oras, se você quiser se divertir, invente suas próprias canções." (Renato Russo)

Domingo, 29 de Março de 2009

Me supreendi a primeira vez que eu te vi,

foi sim surpresa, paixão e foi encanto

ou o que mais pode ser tudo aquilo que senti!

 

Era sonho? Talves uma miragem?

Não, era simplesmente alguém

que estava só de passagem.

 

Seus olhos foi o que mais me chamou atenção.

Olhar de menino, de garoto moleque.

Foi doce e forte. Foi Atração.

 

Depois esse sorriso. Lindo!

Que te enche de vida

iluminando tudo, como o céu se abrindo.

 

Hoje, depois de todo esse tempo, me peguei pensando:

Será que um dia poderei tocar a pele clara do teu rosto,

sentindo o brilho dos teus olhos me olhando?

 

E ver novamente toda luz que ilumina tua face quando você sorri,

enquanto te revelo a grandeza do que senti,

na primeira vez que te vi?

 

**Dedicado àquele que queria só pra mim!!**

publicado por Gizele Alves às 15:32
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 10 de Fevereiro de 2009

Sinto que mudei.

Não sou a mesma de antes,

não sou a mesma de ontem.

Pedaços de passado às vezes voltam

como se alguém resolvesse

abrir o baú dos nossos dias,

então, as lembranças que estavam presas se soltam.

Boas ou ruins. Esquecidas.

Surgem de onde estavam guardadas,

saem de onde estavam escondidas.

 

Bom seria se continuassem lá pra sempre,

onde não nos machucam,

de onde não nos impedem

de continuar olhando pra frente.

 

Hoje veio a tona

um desses pedaços do meu passado.

Me lembrei de como me sentia

quando estava a seu lado.

A sensação foi boa,

até que rápido passou,

rápido demais se foi.

E novamente a tristeza chegou

enterrando de novo o baú daquele dia,

me fazendo ver que do passado

só voltam as lembranças,

me deixando só, na sala vazia.

publicado por Gizele Alves às 23:02
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Domingo, 1 de Fevereiro de 2009

Choveu muito nestes últimos dias.
Hoje o sol resolveu aparecer,
mas em nossas tardes ainda sentimos a chuva fria.

 

Tivemos tristeza e frio em pleno verão.
Um vazio e o pranto que causam vertigem.
E a saudade esmagando o coração.

 

A quanto tempo não te vejo?
Quando foi o último abraço?
E agora? Quando será o próximo beijo?


Se o tempo pudesse voltar.
Se o tempo pudesse não existir.
Se pudéssemos tê-lo feito parar!

 

Será muito grande o desafio de seguir em frente,
mas sei que torcerá por nós como um anjo no céu,
e nós seguiremos o exemplo que deixou pra gente.

 

Sabemos que tua vida não acabou aqui,
Mesmo que o corpo passe,
nosso amor e amizade continuarão a existir.

publicado por Gizele Alves às 19:00
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Sábado, 22 de Novembro de 2008

As vezes me pego viajando

por lugares distantes,

me reencontro com momentos

que estão longe de voltar,

momentos de sabores distintos

e sentimentos vibrantes,

tão emocionantes,

que a saudade começa a apertar.

Cada dia naqueles tempos

era um dia diferente.

Sempre uma nova história,

um novo medo.

E mesmo sem motivo aparente

a vontade de viver

e de ser feliz pra sempre

aumentava e se tornava forte.

Crescia facilmente!

Graças aos meus amigos

(eu não me canso de dizer)

que eram como anjos do céu

enviados pra me proteger.

Não se cansavam de me fazer melhor,

ao lado deles

meu lado bom era maior.

 

Ah, meu pequenos anjos queridos,

mesmo que Deus

me mande outros amigos,

ouçam isto:

- Vocês nunca serão esquecidos!

publicado por Gizele Alves às 21:06
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sexta-feira, 14 de Novembro de 2008

 Não me sai da cabeça

aqueles teus olhos cheios de indecisão.

Meus olhos nos teus,

minha vida em tuas mãos.

 

Não encontrei nenhuma razão. Nenhum motivo.

Nada me convenceu.

Nada do que disseram me fez dizer não.

Nada me fez resistir aos toques de tua mão.

 

E os teus olhos

sem dizer palavra me convenceram,

me hipnotizaram, dominaram,

levaram minhas forças.

Fizeram minhas as suas vontades

e agora são meus os teus desejos.

 

Quem foi que te agraciou com tantos poderes?

Quem te ensinou a roubar corações assim

se esqueceu de ensinar a cuidar deles.

Agora o meu vive doente

dentro de mim.

 

Quando meus olhos encontraram os teus

minha alma vibrou

e quando a tua boca tocou a minha

minha alma escapou,

fugiu de mim, para mergulhar em você

em busca da sua.

 

E o tempo congelou.

O mundo a minha volta parou.

por um instante

só existíamos eu e você.

Pobre alma!

ainda hoje traz as marcas

desta doce aventura.

 

Ahh! Como é triste pensar

que aqueles olhos não queriam dizer nada,

que de novo me enganei.

Me encantei pela pessoa errada.

 

 

*** Dedicado à um dia especial!! ***

 

 

publicado por Gizele Alves às 09:07
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


últ. comentários
Oi Gi, coloquei seu blog nos meus links.gostei mui...
Voltou a escrever gi!!! Que ótimo!!!E tá escrevend...
Oi Gi!Puxa... tá inspirada hein!Passa um pouco des...
Que triste Gi!Puxa... me emocionou mesmo esse text...
Gi,Lindo.. muito lindo...Realmente... não há coisa...
A vida só se compreender mediante a um retorno ao ...
Oi Gi,muito interessante este seu texto.Bom seria ...
Isa, a intenção não era dizer que alguém é mais ou...
oi gizele!teus poemas sao lindos, mas desculpa, as...
Olá Gizele,Obrigado pelas palavras, tbm vi seu blo...
arquivos
links
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro